Mapa conceitual: o que é e como fazer

O mapa conceitual é um dos métodos desenvolvidos para que a organização e planejamento (visual) sejam as bases para os resultados e  execução de todas as tarefas e compromissos. 

A organização, planejamento e ferramentas de disciplina são essenciais para qualquer setor, seja para trabalho, estudos, profissional ou tarefas que devem ser realizadas em determinados períodos e principalmente em relação a prazos. 

Para isso, é válido desenvolver técnicas, métodos e formas de organização para que as responsabilidades e compromissos sejam realizados, priorizando qualidade e prazo correto, evitando prejuízos, desperdícios e insegurança. Cada indivíduo possui ou mesmo desenvolve seus métodos para que as obrigações sejam realizadas e que estejam corretamente entregues.

Com toda a correria da rotina, e as pessoas procurando investir cada vez mais em se destacar financeiramente, profissionalmente e atingir a ascensão na sua carreira através dos estudos, é essencial que o controle e o planejamento sejam primordiais para que tudo seja efetuado e preze pela qualidade.  

O mapa conceitual é desenvolver a estrutura de composição como algo visualmente esquematizado. Sendo a prioridade de tudo estar visualmente inserido e composto para que a interpretação cause um impacto estrutural que beneficia a elaboração das atividades e tarefas inseridas no mapa conceitual. Mas, o que é de fato um mapa conceitual e como fazê-lo?  

O que é um mapa conceitual? 

Definido como uma técnica de estudos, que posteriormente passou a ser aplicada como método de organização e planejamento de tarefas profissionais,  financeiras e empresariais, o mapa conceitual é um método que como o próprio nome afirma, se assemelha como um “mapa”, visualmente distribuindo  informações e conceitos, assim como um mapa distribui suas denominações por toda uma página/folha. 

Sua criação é baseada em mapas já existentes e usados desde os primórdios, mas possuindo uma nova “versão” desenvolvida na década de 1960, afinal, apenas possui a denominação de um mapa, não sendo de fato a funcionalidade do mapa (informar geograficamente). 

O mapa conceitual possui as funções de facilitar a memorização, interpretação, aprendizado e absorção dos conteúdos e informações inseridas e visualmente trabalhadas. O visual é essencial para que trabalhe a memorização, processo criativo, desenvolvimento de tarefas e até mesmo planejamento estratégico, financeiro e de gerência.  

A funcionalidade está atribuída ao mapa conceitual, uma maneira de que todas as tarefas, compromissos e informações sejam entregues, absorvidas e realizadas de uma forma mais prática, efetiva e evitando imprevistos de esquecimento e falhas. 

Não somente para os estudos, mas para que seja aplicado em empresas, setores profissionais, organização de funcionários, produtos, prazos de entrega, fornecedores, entre outros. O mapa conceitual tem o poder de ser aplicado em qualquer setor que for inserido.  

Como fazer o mapa conceitual? 

Não existem regras “obrigatórias” para o mapa conceitual, apesar de sempre seguir um padrão, tudo depende do desenvolvedor do mesmo e de como se adapta melhor, mas, é essencial que seja baseado em métodos visualmente impactantes dos conteúdos inseridos. 

Ou seja, para desenvolver um mapa conceitual, é importante basear-se em técnicas que valorizem a atração visual, através de cores, formas, imagens, fotos, setas indicadoras, variação de tipografia, entre outros. Mas, para seguir o padrão utilizado no mapa conceitual, é importante seguir algumas dicas de como desenvolvê-lo.

Primeiramente, selecione as  informações e conteúdos de maior importância e relevância de acordo com o  que será o assunto principal do mapa (ou seja, de acordo com o tema definido) é viável que para uma maior fixação do conteúdo ou da mensagem, seja feito um filtro de assuntos, para inserir apenas os de maior importância, evitando muita poluição visual de textos, podendo inclusive trabalhar as palavras-chave para maior absorção das informações.  

Com o filtro das informações mais necessárias e essenciais para o desenvolvimento do mapa já selecionadas, é o momento de realizar a organização. A organização será fundamental para que o mapa siga um caminho visual, que tenha uma conexão e coerência de cada subtema inserido no mapa conceitual. 

Para isso, determine as palavras e frases curtas que serão inseridas no mapa e organize-as de acordo com ordem cronológica, ordem de prazo, ordem de prioridade, ou qualquer outro tipo de ordem que for usado como base. É importante saber que o mapa deve seguir uma organização de assuntos de forma que sejam coerentes e autoexplicativos.  

Com os dois passos mais importantes para o planejamento e absorção dos assuntos, informações e conteúdos tratados no mapa, é o momento de desenvolver a parte criativa. Podem ser utilizadas formas geométricas, fotos e imagens para indicar visualmente as informações inseridas, tipografias que chamem a atenção (mas que sejam legíveis e apliquem a leiturabilidade) e o mais relevante, a aplicação de cores. 

As cores atuam diretamente no  subconsciente, e se trabalhadas de maneira correta, podem beneficiar  positivamente na absorção de conteúdos e no planejamento de tarefas.  

Principais exemplos de mapas conceituais? 

Como foi dito anteriormente, existem alguns padrões de mapas conceituais que são desenvolvidos e dependem apenas da preferência do usuário. São tipos que variam na distribuição das formas, informações e método de organização dos conteúdos. Os principais exemplos de mapas conceituais são:

  • mapa conceitual fluxograma, baseado em uma distribuição de várias  alternativas, possibilidades ou respostas do assunto inserido no mapa;
  • mapa  conceitual hierarquizado, baseado em uma ordem cronológica ou segmentos já estabelecidos, semelhante a uma hierarquia;
  • e o mais utilizado, o mapa conceitual teia de aranha, que consiste em distribuir ramificação de ideias e informações para assuntos mais amplos e diversos.  

Como fazer um mapa conceitual digital? 

Para fazer um mapa conceitual digital, o mesmo deve ser desenvolvido em smartphones ou computadores, e com isso, necessita de um programa de arte digital (podendo até ser um programa básico). 

O padrão de desenvolvimento, organização e disposição das informações podem seguir os mesmos métodos dos mapas conceituais tradicionais, pois o conceito e a proposta não mudam para o meio digital.

Quando desenvolvido digitalmente, o mapa conceitual pode ser feito de uma maneira mais rápida e visualmente mais atrativa, uma vez que o digital fornece uma maior qualidade. 

Para então criá-lo, é importante possuir um programa instalado que fornece ferramentas de criação, seja o Photoshop, Illustrator, ou mesmo o Microsoft PowerPoint, entretanto, existe um programa denominado SmartDraw que possui foco na criação de mapas conceituais, organogramas, diagramas, calendários, diagramas de rede e cronogramas, sendo específico para a criação de seu mapa conceitual digital.  

Como fazer um mapa conceitual através do Google? 

Uma maneira de fazer um mapa conceitual através do Google, é através do programa de apresentações do pacote gratuito Editores Google Docs, o Google Slides

Através das ferramentas do Google Slides, é possível desenvolver o mapa conceitual trabalhando fotos, imagens, formas, cores e tipografias, devido ao seu espaço livre de criação. 

A escolha do melhor programa, de ser digital ou tradicional, fica de acordo com a adaptação e opção do usuário do mapa conceitual. As ferramentas disponibilizam digitais oferecem todas as funções de criação, mas ambas possuem sua eficiência e garantia de absorção e organização. 

Sugestões

Deixe um comentário